Chapéu Mangueira livre do voto de cabresto com UPP

-->Rio-->Cabos eleitorais agem, e motoqueir os faturam levando bandeiras-->Maria Luisa de Melo-->Com os númer os de seus can- didatos no bolso , de baixo do br a- ço ou na carteir a, mor ador es dos morr os Ba bilônia e C hapéu Man- gueir a, no Leme (Zona Sul do Rio), tinham as pr opostas de seus escolhidos na ponta da língua ao se dirigir em às seções eleitor ais. Li vr es da influência dos tr afican- tes há um ano e quatr o meses – quando a com unidade f o i ocupa- da pela P olícia Militar – m uitos c o m e m o rava m o f i m das pr essões e os ganhos com a ati vidade de boca de urna. – Já ti v e que v otar em candi- datos escolhidos pelos tr afican- tes de dr o gas que domina v am o Chapéu Mangueir a – contou a co- mer ciante Maria do Socorr o Ber- nar d o . – Agor a, não . T enho liber- dade par a v otar em quem eu qui- ser , e já decidi quem eu quer o que v ença as eleições.-->Motoqueir os-->Mais adiante, na entr ada da f a v ela, um g rupo de 12 motoci- clistas e xibia bandeir as de can- didatos par a todos os car gos em disputa. Alguns deles enfeita v am não só suas motocicletas, mas também seus capacetes com ade- si v os colados. Engana-se quem pensa que se tr ata v a de militân- cia. T udo er a pago . As corridas de moto segur ando as bandeir as e os adornos nos ca- pacetes er am feitas mediante pa- gamento de R$ 50 pelos asses- sor es ou os próprios candidatos. – Eu estou f az endo pr opaganda ná-lo de antemão sobr e as melhorias que a com u- nidade v ai ganhar . – O m eu deputado es- tadual v ai r ef ormar o r e - ser v atório que a b astece o morr o – gar antiu a p r esi- dente da associação de mo- r a dor es. – P edi os v otos de to- dos os que vi v em aqui par a que ele ganhe. Assim, ganhar emos também.-->Boca de urna-->A dupla de amigos P edr o P au - lo dos Santos e Adílio Horácio , mor ador es da Zona Sul, f or am dois dos milhar es de ca bos elei - tor ais que apr o v eitar am o do - mingo de eleição par a gar antir uma r enda e xtr a no orçamento fa m i l i a r. Sem medo de ser em pr esos por distribuir material de campanha do candidato ao Senado Cesar Maia, eles e xplicar am como p r o - ceder par a não ser em captur ados pela polícia. – É só não se aglomer ar pró- ximo aos locais de v otação , tem que ficar em dupla o u, no má- ximo , em trio – ensinou Adílio . – T enho amigos que f or am pegos no Lar go do Mac hado , mas eles de- r am mole. Esta v am em um g rupo de seis ca bos eleitor ais.-->Só faço pr opaganda para candidatos que deem algo em tr oca para a comunidade. Sem isso, escolho outr o.Per cilha Per eira, 72 anosPr esidente da associação de morador es do Chapéu Mangueira e moradora do mor r o há 62 anos.-->“-->par a dois deputados. Ganhei R$ 100 só com boca de urna dur ante o meu t r a balho – contou o m oto- taxista F elipe Mesquita. – Eu estou r ece bendo dinheir o de quatr o candidatos, dou uma v olta com uma bandeir a de cada um deles por v ez e consigo uma g r ana e xtr a – a briu o jo go Y uri Mesquita.-->T oma lá dá cá-->P a r a P e r cilha P e r eir a, ou ape- nas dona P e r cilha, uma das mo- r ador as mais antigas do Chapéu Mangueir a, onde vi v e há 62 anos, o mais importante na hor a de es- colher um candidato é questio--->Fotos de Vítor Silva-->FESTA -->– Morador es comemoram o primeir o pleito após a pacificação