Trânsito em foco

-->Celso Francoeducacaojb.com.br-->Dia Internacional da Demagogia Desinformada-->A edição do -->JB -->, do dia 17, ilus- tr ada com uma impr essionante f oto da A v enida Pr esidente V a r- gas totalmente ocupada por ôni- bus an uncia v a o Dia Internacio- nal sem A utomóv el, que se r e a- lizaria na quarta feir a. Só a f oto já diz da deficiência de tr ansporte par a considerá-lo alternati v a pa- r a o uso de nosso carr o . Mas, nada é tão r ele v ante como a ignorância de nossos dirigentes quanto à necessidade da e xistência do automóv el na sociedade moder - na. O seu uso é que é m al inter - pr etado por quem de v eria sa ber o que f a z. É pr eciso r estituir -lhe o estatus original de sua criação co - mo carr o de passeio ou de laser . O conhecimento das a baliza- das opiniões de autoridades m u n- diais no assunto como Collin Bu- c hanan, K onstantinos Do xia- lis,Sir Alk er T ripp , aliada à lei- tur a de li vr os técnicos como o -->Compendio de Ar quitetur a Urbana -->de T . D . Spr eir egen, r epele o ba- nimento do automóv el, elemento indesejáv el na cidade moderna que ele ajudou a criar . Quando mais v ejo declar ações de qualquer dos r e sponsáv eis pelo nosso caos urbano , mais dou r azão à fr ase do escritor britânico G .S. Chesterton, quando disse: “Não me pr eocupam os que não v e em a so - lução , o que me pr eocupa são os que não v e em o pr oblema”. Será que ignor am a i mportân- cia da indústria automobilística par a a economia br asileir a? Será que n unca ouvir am ou le- r am a afirmati v a de Collin Bu- c hanan, o pai do equacionamento do trânsito urbano moderno , que disse “O automóv el v eio par a fi- car e f az er parte da vida urbana moderna. É pr eciso r acionalizar o seu uso , dando a alternati v a do tr ansporte público conf ortáv el e que se assim não o fiz ermos”? Diz ele, ainda: “Ou o uso do automóv el particular , como meio primor dial de tr ansporte, declina r apidamente, ou o meio ambiente e a segur ança irão se deterior ar com a possibilidade de ambos acontecer em ao mesmo tempo”. O pr oblema é tal que pequenas soluções par a melhor ar o escoa- mento de v eículos nas vias e xis- tentes não terão dur ação longa, sendo super adas pelas no v as con- dições de tráfego tão lo go estas melhorias sejam implantadas. V ejo pr eocupado que, a par destas iniciati v as demagógicas, como a da quarta-feir a, as pr o- vidências par a adaptar o R io aos e v entos m undiais que irá sediar se enquadr am nas pequenas so- luções e de curta dur ação . São pr ecisas soluções de m u dan - ça de hábitos que r econduzam o automóv e l ao seu p rincipal pr opó - sito social: carr o de passeio , par a o laser . Quarta-feir a f o i o d ia da De - mago gia Desinf ormada. Ou um “Dia de luto”, como disse o e n - genheir o F e rnando MacDo w e l.