Dia Mundial sem Carro é polêmico

-->Evento de quar ta-feira no Rio, aler tando para a poluição, não convence especialistas da ár ea-->José Luiz de Pinho-->A polêmica está no ar como os gases poluentes. Ouvidos pelo -->JB -->, especialistas nas ár eas ambiental e de tr ansportes ac ham impr oduti v a a iniciati v a da pr efeitur a do Rio , que an unciou, ontem, o esquema par a o Dia Mundial sem Carr o , na próxima quarta-feir a. O objeti v o é alertar as pessoas sobr e os danos da emissão de gases do efeito estuf a e estim ular a utilização de bicicletas e do tr ansporte público de massa. P ar a o especialista em trânsito , f ormado pela UFRJ , F ernando McDo w ell, a iniciati v a não f az qualquer sentido . – Só pode ser piada, e de mau gosto . A pr efeitur a de v eria lançar é o dia do luto – ir oniz ou. – Como estim ular o tr ansporte de massa se o metrô oper a com apenas 40% de sua capacidade? P or isso aconte - cem pr oblemas todos os dias nas linhas 1 e 2. E como optar por bi - cicletas se f altam ciclo vias? McDo w ell diz que não v ai aderir ao e v ento e f a z outr as críticas: – A emissão de gases poluentes é alta, por que o trânsito é caótico . Eles não conseguem r esolv er o pr o - blema dos ônibus, da engenharia de tráfego , da sinalização nas ruas, que é burr a, ao contrário de São P aulo , onde funcionam há tempo os sinais inteligentes. O ambientalista, biólo g o , ocea - nóg r af o e pr ofessor de ger e ncia - mento de ecossistemas da UFRJ Mário Moscatelli ficou indignado com a decr etação do Dia Mundial sem Carr o par a quarta-feir a. – Só pode ser uma iniciati v a eleitor eir a, de palanque – com- par ou. – A s pessoas gastam a maior parte de seu dia dentr o dos meios de tr ansporte. O carioca tem de colocar uma belic he no carr o e não deixá-lo em casa. Moscatelli se irrita com a classe política de um modo ger al. – É bonito f alar na pr eser v ação do meio ambiente, de gases po - luentes. Mas o trânsito do Rio é um inferno de vido às péssimas admi - nistr ações públicas, que n unca de - r am pelota par a essas causas. P ar a Moscatelli, a população é vítima e algoz de si por v otar mal. – G astar am R$ 500 milhões na construção da Cidade da Música, e ela está lá, sur da e m uda – cri- tica. – O u os políticos dão um encaminhamento técnico r espon- sáv el à Copa de 2014 e à Olim- píada de 2016, no Rio , ou vão nos enr olar de no v o . O secr etário m unicipal de Meio Ambiente e vice-pr efeito , Car los Alberto Muniz, que an unciou o e v ento , está certo de que a po- pulação v ai aderir ao Dia Mundial sem Carr o , como em 2009. – Sentimos g r ande apoio – disse o secr etário . – V amos dar uma de - monstr ação ainda mais impactante de que quer emos de f az e r do Rio uma cidade mais sustentáv el.-->Ar quivo/ Vítor Silva-->CAÓTICO -->– A A venida Pr esidente V ar gas par ece um mar de ônibus, especialmente nos horários de r ushComo as pessoas vão optar por bicicletas se faltam ciclovias?Fer nando McDowellEspecialista em trânsito for mado pela UFRJ-->“-->Se o trânsito do Rio é um infer no é graças às péssimas administrações.Mário MoscatelliAmbientalista da UFRJ-->“