Rio de Janeiro: o que muda da Olimpíada para a Paralimpíada

Ingressos mais baratos, transporte exclusivo e Boulevard Olímpico são algumas das atrações 

Para matar a saudade do clima olímpico do último mês, o Rio de Janeiro promete fazer mais uma grande festa para receber os Jogos Paralímpicos, entre os dias 7 e 18 de setembro. Mais de 4 mil atletas vão disputar 23 modalidades, numa festa que deve atrair milhões de pessoas para as arenas. Mas afinal de contas, o que muda das Olimpíadas para as Paralimpíadas?

A primeira coisa que mudou foi o preço dos ingressos. Agora, o valor gira entre R$ 10 e R$ 70, bem mais barato que no evento do mês passado - quando os ingressos mais caros chegavam a R$ 500. O baixo custo fez com que as vendas disparassem após a cerimônia de encerramento das Olimpíadas: cerca de 50% das entradas já foram comercializadas, e alguns eventos já estão esgotados.

O esquema de transporte também vai mudar. A Prefeitura anunciou que fará dois serviços especiais de BRT, ao invés dos quatro disponíveis nos Jogos Olímpicos: a linha Jardim Oceânico-Centro Olímpico, que liga o metrô da Barra da Tijuca ao Parque Olímpico; e a linha Vicente de Carvalho-Terminal Paralímpico, que conecta a estação de metrô Vicente de Carvalho, na zona norte, ao Recreio dos Bandeirantes, bairro vizinho ao Parque. Ambos funcionarão das 5h à 1h. As estações convencionais do metrô (Linhas 1 e 2) ficam até 0h normalmente.

A boa notícia é que será possível utilizá-los com qualquer cartão RioCard, incluindo o Bilhete Único convencional. Nas Olimpíadas, era preciso adquirir o RioCard Olímpico no valor fixo de R$ 25 por dia. Será preciso apresentar os ingressos na hora de fazer a baldeação para o metrô da Barra da Tijuca.

Boulevard Olímpico

Xodó dos cariocas e turistas durante as Olimpíadas, o Boulevard Olímpico volta com tudo nas Paralimpíadas. Mais uma vez, a Região Portuária será o epicentro da festa, assim como o complexo Miécimo da Silva, em Campo Grande, na Zona Oeste. A programação ainda não foi divulgada, mas nomes como Nicolas Krassik e Banda Tereza estão confirmados para a Zona Portuária. Artistas como Valeska Popozuda e Projota farão shows em Campo Grande, com data ainda a confirmar.

Os jogos também serão transmitidos ao vivo nos dois complexos. Artistas de rua, food trucks e DJs também vão invadir os boulevares da cidade.

Atrações no Parque Olímpico

Além dos jogos, outra grande expectativa era pela manutenção das outras atrações dentro do Parque Olímpico. Patrocinadora do evento, a Skol já anunciou que vai manter seus copos temáticos durante as Paralimpíadas. Dessa vez, de cor laranja, com desenhos que fazem alusão às modalidades dos jogos (quem foi nas Olimpíadas enfrentou uma verdadeira saga para adquirir os copinhos com todos os esportes).

A cervejaria também anunciou que irá manter a tenda "Skol Live House", ou "Delegação Skol", como ficou conhecida. Sucesso entre os jovens, o espaço foi uma espécie de "boate oficial" do Parque Olímpico, com DJs, pista de dança e muita paquera. As outras atrações da área de convivência do Parque também devem permanecer.