Em dia de choro e briga, Brasil leva mais dois ouros no Pan

O Brasil voltou a brilhar neste quinto dia dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Com dois primeiros lugares no pódio - no tiro e na natação -, o país chegou ao seu 12º ouro e, em segundo na classificação geral, se distanciou do México - os anfitriões ocupam o terceiro posto -, em quarta-feira também marcada por briga e choro entre os atletas nacionais.

"Sei que muita gente estava esperando essa medalha de ouro - como eu também -, mas infelizmente não veio. Eu vou continuar lutando, porque eu não desisto. Estou aí há 14 anos e só agora veio um título mundial", afirmou Fabiana Beltrame, medalha de prata no skiff simples leve do remo, que não conteve a emoção com o revés e derramou lágrimas. Ela chegou com status de favoritíssima depois de ser campeã mundial no dia 18 de junho.

No tênis masculino individual, o Brasil viu dois de seus três jogadores avançarem, com destaque para o cabeça de chave número 3, Ricardo Mello. Em partida tumultuada contra o campeão olímpico de 2004 em Atenas, o chileno Nicolás Massu, o brasileiro enfrentou uma maratona de 2h01 marcada por bate-bocas e provocações.

"O Nico (Nicolás Massú) gosta de uma confusão, sempre que está perdendo arruma alguma coisa. O jogo ficou mais tenso do que deveria, mas mantive o foco e a concentração e tudo deu certo no final", afirmou Mello, após vitória por 2 a 1, com parciais de 1/6, 6/2 e 6/3.

Nos demais esportes, o país conquistou dois ouros importantes nesta quarta. O primeiro deles foi na pistola 25 m do tiro esportivo com Ana Luiza Mello, que brilhou e quebrou o recorde pan-americano da modalidade com a marca de 773.9, em prova realizada no Clube de Caça Jalisco, em Zapotán. No tiro, o Brasil ainda viu Roberto Schmits levar o bronze na fossa olímpica.

Já na natação, Henrique Rodrigues levou o bronze nos 200 m medley. Thiago Pereira voltou a brilhar e levou a prata no revezamento 4x200 m livre ao lado de André Schultz, Nicolas Oliveira, Leonardo de Deus. Ele ainda triunfou na prova dos 200 m medley, conquistando mais um ouro para o currículo. Foi o seu décimo em Jogos Pan-Americanos, igualando o recorde do mesatenista Hugo Hoyama.

Hoyama, aliás, ficou no meio do caminho na disputa individual do tênis de mesa e deu adeus ao Pan, já que não disputará mais nenhuma competição. Por isso, Pereira ainda pode ultrapassar Hoyama e se tornar o brasileiro mais vencedor da história dos Jogos, uma vez que ainda terá mais duas provas pela frente - a próxima será a do revezamento 4x100 medley na sexta-feira.

Nos esportes coletivos, o Brasil brilhou no vôlei feminino ao bater a República Dominicana por 3 a 0, com parciais de 25/19, 25/18 e 25/23 e enfrentará Cuba na decisão desta quinta-feira, às 23h (de Brasília), com chance única de vingar o Pan de 2007, no Rio de Janeiro, quando perdeu em pleno Maracanãzinho para as rivais.

Por último, o futebol masculino estreou com empate por 1 a 1 contra a arquirrival Argentina, com gols de Henrique, do São Paulo, e Araujo, do Boca Juniors, em clássico realizado no Estádio Omnilife, em Guadalajara.