Muito bem, Brasil lidera quatro classes da vela

 Após o segundo dia de competições da vela no Pan de Guadalajara, o Brasil vem conquistando ótimos resultados na modalidade. As equipes nacionais estão na frente em quatro modalidades (J24, RS:X masculino e feminino e sunfish), e estão entre as três primeiras em outras quatro classes. Nesta quarta-feira, a equipe brasileira entra em ação novamente, disputando duas regatas por classe.

Conhecido do público, o Bimba, Ricardo Winicki, venceu duas regatas da RS:X masculino e assumiu a liderança, à frente do argentino Mariano Reutmann e do mexicano David Teran. O brasileiro festejou dizendo que o "dia foi muito bom".

"Na primeira regata, o vento estava em torno de oito nós na largada, depois caiu quase a zero e terminou com 10 a 12 nós. Na segunda, já largamos com 10 nós e chegou a 14. Prefiro essa condição. Na minha classe há três países que brigarão pelas medalhas, Brasil, Argentina e México. Com o vento fraco, acaba que nós três nos embolamos com os demais", disse o atleta para o site oficial do COB.

Já na regata feminina da mesma categoria, a RS:X, foi alvo de polêmica. O primeiro dia de competições foi vencido pela brasileira Patrícia de Freitas, mas a organização do evento cancelou o resultado, alegando que uma das boias se soltou e andou vários metros. Porém, a chefe de equipes do Brasil, Martha Lobo, disse que já entrou com recurso. "Pedi que tomem uma decisão coerente: ou validam as duas regatas, do masculino e do feminino, ou cancelam ambas", contou Martha.

Martha contesta que a regata masculina da RS:X foi disputada na mesma raia, sem apresentar problemas, e foi vencida pelo argentino Mariano Reutamann.

Apesar de toda confusão, a atleta Patrícia de Freitas foi muito bem na terça-feira, segundo dia de competições, e venceu as três regatas disputadas da categoria. Com o feito, a brasileira assumiu a liderança, à frente do México e dos Estados Unidos.

Na classe J24, o Brasil também foi muito bem. A equipe formada por Maurício Santa Cruz, Daniel Santiago, Alexandre Saldanha e Guilherme Hamelmann também está na liderança, seguida por Estados Unidos e Chile.

Pela categoria sunfish, a disputa será acirrada, mas o brasileiro Matheus Dellagnello segue em primeiro lugar, seguido de perto pelo americano Paul Foerster. A vantagem do Brasil é apenas caracterizada por critérios de desempate.

Na classe snipe, o Brasil aparece em segundo lugar, com a dupla Alexandre Tinoco e Gabriel Borges, atrás da dupla americana.

Em três classes o Brasil está na terceira posição geral. Na lightning, está atrás de EUA e Chile. Na laser, o Brasil aparece atrás dos EUA (que leva vantagem sobre o brasileiro nos critérios de desempate), e da Argentina. Na hobie cat, o Brasil ocupa a terceira posição com 15 pontos perdidos - a dupla de Porto Rico lidera com nove, seguida pela da Venezuela, com 11.

A única brasileira que não aparece entre as três primeiras colocação é Adriana Kostiw, da classe laser radial, que obteve uma 13ª e uma 10ª posição e agora ocupa a sétima posição na classificação geral.