Herói do badminton mantém nervosismo antes de receber medalha inédita

Daniel Paiola já garantiu um feito inédito para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara: o bronze no badminton. Apesar disso, continua muito nervoso. O motivo é a espera para receber a medalha, o que só ocorrerá nesta quarta-feira, depois da final da categoria masculina.

"Vou ficar mais ansioso do que pra jogar, porque eu quero sentir ela no meu peito", disse Paiola ao Terra. "Meu sonho ainda é escutar o hino nacional. Eu escutei no Sul-Americano e a sensação já foi incrível", relatou o atleta que se destacou em um esporte pouco conhecido e pouco praticado no país.

Daniel Paiola dedicou a seus familiares a conquista do primeiro pódio pan-americano no badminton brasileiro. "Eles conseguiram realizar isso. Estavam deixando de viver a vida boa porque eu estava na Europa treinando", contou o atleta, que nesta terça-feira foi derrotado na semifinal pelo guatemalteco Kevin Cordon. Como não há disputa pelo terceiro lugar, vai receber medalha.

"Minha família abriu mão de muita coisa, meus tios e avós me ajudaram com dinheiro. Tive apoio financeiro e moral. Para quem se dedica a um esporte amador, não é fácil, na hora H, deixar muita coisa de lado. Se eu não conseguisse, todo mundo ia cair em cima de mim", complementou Daniel Paiola, relembrando as dificuldades vividas antes de chegar a Guadalajara.