Revelação vence novamente e é esperança no badminton 

Lohaynny Vicente, de apenas 15 anos, venceu mais uma vez na disputa por medalhas no badminton. A atleta entrou em quadra no Ginásio Revolución e conquistou a sua terceira vitória nos Jogos Pan-Americanos Guadalajara 2011. Lohaynny bateu a peruana Alejandra Monteverde, cabeça de chave número 8, por 2 a 0, com dupla parcial de 21/18.

Com este resultado a brasileira avança para as quartas de final e enfrenta a canadense Joycelyn Ko, também cabeça de chave, nesta segunda-feira.

A irmã de Lohaynny, Luana Vicente, acabou sendo eliminada na disputa individual feminina. A atleta perdeu para a americana Rena Wang por 2 sets a 0, com parciais de 21/18 e 21/8.

Pela equipe masculina, Daniel Paiola avançou para as quartas de final ao derrotar Alberto Raposo, da República Dominicana, com 2 sets a 0, parciais de 21/7 e 21/9. Alex Tjong também passou de fase após vencer o chileno Cristian Araya, também por 2 a 0, com parciais de 21/13 e 21/14.

Se os dois representantes brasileiros avançarem, podem fazer uma final verde e amarela, no dia 20 de outubro, no Ginásio Revolución.

Duplas

Na competição de duplas, apenas dois brasileiros continuam na disputa. A dupla formada por Hugo Athuso e Daniel Paiola venceu a dupla do Suriname composta por Virgil Soeroredjo e Mitchel Wongsodikromo por 2 sets a 1. Parciais de 21/18, 17/21 e 21/11.

Já a dupla formada pelas irmãs Vicente foi eliminada pelas americanas Eva Lee e Paula Obanana. Lohaynny e Luana perderam por 2 sets a 0, parciais de 21/7 e 21/11.

Luiz dos Santos e Alex Tjong também deram adeus à competição de duplas ao serem eliminados pelos mexicanos Job Castillo e Antonio Ocegueda. Os donos da casa venceram por 2 sets a 0, com dupla parcial de 21/16.

As quartas de finais serão disputadas nesta segunda-feira, no Ginásio Revolución, em Guadalajara.

Saiba mais sobre o badminton:

O esporte se joga com uma raquete especial e um tipo de peteca, podendo ser praticado em partidas simples ou de duplas. A peteca tem uma forma cônica e é formada por 16 penas que estão dentro de uma base de cortiça, coberta por uma pequena capa de couro. O objetivo do jogo é fazê-la tocar na quadra adversária. Apesar de as origens do badminton remeterem ao século XIV, o esporte não fez parte do programa olímpico até a edição de 1992, em Barcelona.