Handebol brasileiro estreia no Pan com massacre sobre EUA em "treino de luxo" 

A defesa da hegemonia pan-americana pela Seleção Brasileira feminina de handebol não poderia começar de forma mais tranquila em Guadalajara. Neste sábado, a equipe tricampeã massacrou os Estados Unidos por 50 a 10, em partida sem dificuldades que acabou por se transformar em treino de luxo no segundo tempo, com a entrada da equipe reserva.

O Brasil mostrou muita eficiência defensiva e teve como destaque, no ataque, Fernanda da Silva, que marcou 10 gols em 11 finalizações. Todas as atletas brasileiras, com exceção das duas goleiras, balançaram as redes. Pelo lado das americanas, Julia Sayer foi a mais eficiente: marcou três gols, depois de finalizar 12 vezes.

A equipe comandada pelo técnico dinamarquês Morten Soubak não ficou atrás no placar em nenhum momento e, já na metade do primeiro tempo, abriu larga vantagem. No intervalo, o marcador era 23 a 6 para as brasileiras. No segundo tempo, o comandante poupou as titulares e colocou todo o time reserva em campo - até mesmo a goleira Chana saiu de quadra, substituída por Babi.

Após o intervalo, os Estados Unidos demonstraram a fragilidade de sua seleção: levaram mais de 8min30s para marcar o sétimo gol e, após 15 minutos, haviam balançado as redes apenas três vezes. Nos minutos finais, a equipe aumentou muito o marcador, levando a diferença a 40 pontos.

A Seleção Brasileira volta a atuar em busca do tetracampeonato neste domingo, às 15h (de Brasília), contra o Canadá. Já os Estados Unidos buscam a reação às 20h, contra a República Domincana.