De olho em estreia, vôlei feminino abre mão de abertura do Pan 

A delegação brasileira que participará da cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara na noite desta sexta-feira estará desfalcada de uma das equipes com mais chances de conquistar uma medalha de ouro. De olho na estreia na competição, o técnico Zé Roberto vetou a participação da Seleção Brasileira de vôlei feminino, que permanecerá na Vila Pan-Americana.

"Infelizmente não vamos participar porque vamos sair da Vila Pan-Americana (em direção ao Estádio Omnilife) a pé. Não é longe, dá mais ou menos 10 minutos andando. O problema é a quantidade de horas que teríamos que ficar de pé. É melhor que fiquem repousando, porque temos jogo amanhã (sábado)", explicou Zé Roberto, em entrevista ao Terra.

A equipe brasileira entra em quadra às 22 horas (de Brasília) do sábado para enfrentar a República Dominicana, seleção treinada por Marcos Kwieck, ex-assistente técnico de Zé Roberto, que teve o trabalho muito elogiado. "Temos jogado contra eles e tem sido duro. Todo cuidado é pouco, o Marquinhos conseguiu melhorar muito a equipe tecnicamente", apontou o comandante do time do Brasil.

Zé Roberto se mostrou satisfeito com a rotina de treinos em Guadalajara, aprovou o local da estreia e comemorou por encontrar uma boa academia fora da Vila Pan-Americana. "A academia daqui é boa, mas é muito lotada", explicou. Assim, prevê uma evolução boa para a Seleção Brasileira: "é o momento da sintonia fina, e nós estamos conseguindo isso".

O que incomoda o comandante é o tempo que as atletas perdem para se alimentar nas acomodações em Guadalajara. "As filas são sempre enormes, então temos que fazer um revezamento para poder ajudar. Aí uma pega comida para a outra, faz o que for para agilizar. São poucas ilhas de alimentação", comenmtou Zé Roberto.