Sergio Moro diz que abre mão da pré-candidatura à Presidência

Ex-ministro já trocou de partido: deixou Podemos e se filiou ao União Brasil

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Credit...Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro anunciou na tarde desta quinta-feira (31) a decisão de deixar o partido Podemos e se filiar ao União Brasil. Posteriormente, ele também divulgou em suas redes sociais sua desistência de concorrer à Presidência da República.

"Para ingressar no novo partido, abro mão, nesse momento, da pré-candidatura presidencial e serei um soldado da democracia para recuperar o sonho de um Brasil melhor", diz Moro em nota oficial.

No comunicado, o ex-juiz federal, que mudou seu domicílio eleitoral do Paraná para São Paulo, enfatiza que "o Brasil precisa de uma alternativa que livre o país dos extremos, da instabilidade e da radicalização".

"Por isso, aceitei o convite do presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, para me filiar ao partido e, assim, facilitar as negociações das forças políticas de centro democrático em busca de uma candidatura presidencial única", acrescenta Moro.

Durante encontro em um hotel na zona sul da capital paulista, o ex-ministro da Justiça assinou a ficha de filiação à nova legenda. Moro havia se filiado ao Podemos em novembro do ano passado, pouco mais de um ano depois de deixar o governo federal, em abril de 2020.

A expectativa é de que Moro dispute uma vaga na Câmara dos Deputados por São Paulo. A ideia da sigla é formar uma chapa única da chamada 3ª via com PSDB e MDB, uma alternativa ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e ao ex-mandatário Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Caso seja do interesse de Moro construir uma candidatura em São Paulo pela legenda, o ex-ministro será muito bem-vindo. Mas, neste momento, não há hipótese de concordarmos com sua pré-candidatura presidencial pelo partido", afirmou ACM Neto, secretário-geral do União Brasil, em nota.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada no dia 24 de março, Moro apareceu com 8% das intenções de voto para a eleição presidencial de 2022.(com agência Ansa)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais