De olho nas eleições ou no foro especial? Saída de Deltan Dallagnol do MPF abre portas para teorias

Deltan Dallagnol pediu demissão depois de 18 anos de carreira no MPF, gravou vídeo explicando decisão e já teve até exoneração confirmada no Diário Oficial da União. O que o futuro guarda para Dallagnol?

Reprodução
Credit...Reprodução

O Diário Oficial da União publicou nesta sexta (5) a exoneração do ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato. Desde quarta-feira (3) a exoneração passou a valer, mas só nessa quinta-feira (4) Deltan Dallagnol decidiu publicar um vídeo explicando o porquê de ter decidido deixar o Ministério Público.



Na descrição do vídeo, Dallagnol escreveu que a sua vontade é "fazer mais, fazer melhor e fazer diferente diante do desmonte do combate à corrupção que está acontecendo".

Já durante a explicação, o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato afirmou: "Eu tenho várias ideias sobre como posso contribuir e eu serei capaz de avaliar, refletir e orar melhor sobre essas ideias depois de sair do Ministério Público."

Em uma saída tão próxima do ano eleitoral de 2022, o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, não descarta a possibilidade de ser uma vontade de Dallagnol de se entregar à política.



Estaria Dallagnol de olho em foro especial? O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) é um dos que estão apostando nesta teoria.

 


A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) tem uma pergunta a fazer.

 


Candidatura oficializada?

 


Prazer, partido Lava Jato.

 


Há quem acredite na possibilidade de Dallagnol estar saindo para "se juntar à campanha de Moro".

 


Já inventaram um novo partido.

 


Com a saída do Ministério Público Federal, todos os processos que estão abertos contra o procurador Dallagnol serão arquivados. Até esta semana, o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato já tinha respondido a 52 processos no Conselho Nacional do MP a reclamações disciplinares, sindicâncias e a processos administrativos disciplinares. (com Pablo Rodrigues/agência Sputnik Brasil)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais