TSE investigará origem do financiamento das manifestações no 7 de setembro

Os atos a favor do governo Bolsonaro contaram com inúmeras faixas, em diversas línguas, pedindo intervenção militar e com críticas aos ministros do STF e ao presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, além de ônibus fretados para transportar manifestantes

Foto: reprodução de vídeo
Credit...Foto: reprodução de vídeo

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luís Felipe Salomão, vai investigar quem financiou os atos no feriado de 7 de setembro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quer descobrir se houve pagamento de transporte, diárias, quem participou da organização e se houve conteúdo de campanha eleitoral antecipada.

Fontes do TSE informaram nesta quarta-feira (15) que essa inclusão é um desdobramento relevante nas investigações de atos com pautas antidemocráticas, principalmente apurando se as manifestações foram, ou não, espontâneas e se teve conteúdo eleitoral.

A investigação visa a apurar ainda se houve abuso de poder econômico e político, uso indevido dos meios de comunicação social, corrupção, fraude e condutas vedadas a agentes públicos.

O inquérito é fruto de procedimento aberto para que autoridades públicas apresentassem provas que comprovassem ocorrências de fraude no sistema eletrônico de votação nas eleições de 2018, em particular nas urnas eletrônicas.

Atos no 7 de setembro

O ato em defesa do governo Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo, reuniu cerca de 125 mil pessoas no 7 de setembro.

As manifestações em Brasília e São Paulo contaram com inúmeras faixas, em diversas línguas, pedindo intervenção militar e com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao presidente do TSE, Luís Roberto Barroso.

O próprio presidente fez duras ameaças ao STF e seus ministros, focando principalmente no ministro Alexandre de Moraes. Dias depois, divulgou a carta "Declaração à Nação", na qual tenta se reconciliar com o Judiciário brasileiro.(com agência Sputnik Brasil)



As manifestações a favor do governo Bolsonaro contaram com inúmeras faixas, em diversas línguas, pedindo intervenção militar e com críticas aos ministros do STF e ao...
Bolsonaro discursando em São Paulo no 7 de setembro