Bolsonaro faz ataques pessoais contra Barroso: 'Falta coragem e sobra ativismo judicial'

Reação à decisão do Supremo Tribunal Federal de instaurar a CPI da covid

Reprodução do Twitter
Credit...Reprodução do Twitter

O presidente Jreagiu nesta sexta (9).

Em conversa com apoiadores de manhã, Bolsonaro comentou a decisão monocrática do ministro que obriga o Senado a instalar a CPI para investigar as ações do governo federal no combate à pandemia. Segundo Bolsonaro, a CPI seria uma "jogadinha" política com a bancada de esquerda e acusou Barroso de fazer "politicalha".

"Falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial. [...] O país vive momento crítico de pandemia, pessoas morrem e o ministro do STF faz politicalha junto ao Senado", disse Bolsonaro.

O presidente ainda postou o vídeo dos ataques em sua conta no Twitter, incitando ainda mais seus seguidores. 

Para o presidente, o que merece uma investigação são "os desvios de recursos de governadores", que teriam desviado "bilhões" que seriam originalmente destinados ao combate à pandemia.

"[A CPI] é contra o presidente Jair Bolsonaro. É exatamente isso, a CPI não é para apurar desvios de governadores, é para apurar, segundo está na ementa lá do pedido de CPI, omissões do governo federal. Ou seja, uma jogadinha entre Barroso e a bancada de esquerda no Senado para desgastar o governo", afirmou.

O presidente destacou a existência dos pedidos de impeachment contra ministros do STF que estão arquivados no Senado. Bolsonaro provocou Barroso a determinar a análise destes pedidos. Além disso, lembrou que Barroso foi advogado de defesa do italiano Cesare Battisti, que estava no Brasil e foi extraditado para seu país de origem em 2019, onde é acusado de homicídios.

"Barroso, nós conhecemos teu passado, tua vida, o que sempre defendeu e como chegou ao STF, inclusive defendendo o terrorista Cesare Battisti. Se você tiver um pingo de moral, Barroso, mande abrir processo de impeachment contra alguns dos seus companheiros do STF", finalizou.

Há pelo menos dez pedidos de impeachment contra ministros do STF. Entre eles, há até um pedido para retirar todos os integrantes do Supremo – mas nenhum pede o afastamento pessoal de Barroso. O ministro mais visado pelos pedidos de impeachment é Alexandre de Moraes, que foi indicado por Michel Temer em 2017.(com agência Sputnik Brasil)