Jair Bolsonaro é alvo de novo pedido de impeachment na Câmara

Iniciativa é de partidos de oposição e foi tomada nessa sexta (15)

Foto: Reuters/Ueslei Marcelino
Credit...Foto: Reuters/Ueslei Marcelino

Em meio à crise no estado do Amazonas, que enfrenta uma progressão contínua de casos e mortes pela covid-19 e, recentemente, falta de oxigênio em hospitais, os parlamentares da oposição levaram adiante os pedidos de impeachment que foram feitos nas redes.

De acordo com o documento assinado por representantes dos partidos Rede, PSB, PT, PCdoB e PDT, Bolsonaro deve ser responsabilizado por deixar o Amazonas sem oxigênio e por ser contrário às medidas de distanciamento social, uso de máscaras e "difundir desinformação".

"Considerando a prática de crimes de responsabilidade em série, que resultaram na dor asfixiante do Amazonas e de milhares de famílias brasileiras, nossos partidos decidiram apresentar novo pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro. O presidente da República deve ser política e criminalmente responsabilizado por deixar sem oxigênio o Amazonas, por sabotar pesquisas e campanhas de vacinação, por incentivar o uso de medicamentos ineficazes, por difundir desinformação, além de violar o pacto constitucional entre União, estados e municípios", diz trecho de um comunicado divulgado pela oposição.

"O Brasil está morrendo sufocado por este presidente. Basta! Já passou da hora de o Congresso Nacional, representando a nação, reagir. Defendemos, também, que o Congresso volte a funcionar imediatamente, para aprovar medidas que possam colaborar decisivamente para sanar os graves problemas que vitimam a população do Amazonas e de todo o Brasil", conclui a nota.

Há, inclusive, um placar não oficial nas redes sociais que está contabilizando o apoio de parlamentares ao impeachment em tempo real. (com agência Sputnik Brasil)

Macaque in the trees
Ato de entrega de pedido de impeachment do presidente Bolsonaro, em julho de 2020 (arquivo) (Foto: Foto: Folhapress / Matheus W Alves/Futura Press)

 



Presidente Jair Bolsonaro
Ato de entrega de pedido de impeachment do presidente Bolsonaro, em julho de 2020 (arquivo)