Presidente do MDB, Baleia Rossi será candidato de grupo de Maia à presidência da Câmara

Foto: Agência Estado
Credit...Foto: Agência Estado

O presidente nacional do MDB e líder da bancada na Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (SP), foi o escolhido pelo bloco construído pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com o apoio de partidos de oposição, para a disputa pela presidência da Câmara.

Baleia concorrerá ao comando da Casa em fevereiro de 2021 contra o líder do bloco que ficou conhecido como centrão, o deputado Arthur Lira (PP-AL), identificado como o candidato do governo do presidente Jair Bolsonaro.

“Com humildade vamos conversar com cada um dos parlamentares para reafirmar os compromissos que nós assumimos na frente ampla e com os partidos do nosso campo”, disse Baleia.

“Vamos fazer o diálogo e vamos mostrar claramente o que nós defendemos.”

Durante o anúncio de sua candidatura pelo bloco, Baleia aproveitou para bater na tecla da defesa de uma Câmara independente.

O grupo de Maia tem afirmado que o candidato adversário ficará inevitavelmente propenso às pautas de interesse do Executivo. Esse, aliás, foi um dos argumentos levados aos partidos de esquerda, encarados como os fiéis da balança nessa queda-de-braço.

Mais de uma vez Maia lembrou que Bolsonaro tinha interesse em controlar a Câmara para impor sua pauta de costumes e flexibilizações do meio ambiente. Outro tema levantado diz respeito à defesa da democracia.

Essas bandeiras levaram partidos da oposição a fecharem com o bloco de Maia antes mesmo da definição de um nome, aliando-se a legendas de centro-direita que sustentam a aliança liderada pelo atual presidente da Câmara.

Integrantes de partidos como o PSB e o PDT chegaram a conversar com o Planalto, levantando dúvidas sobre que rumo tomariam, mas as direções partidárias decidiram apoiar o bloco de Maia.

“O que nos une é a defesa intransigente da nossa democracia, do nosso Estado Democrático de Direito, das liberdades, do respeito às minorias”, reforçou Baleia nesta quarta.

“Claro que um bloco partidário que tem posições diferentes sobre diversos temas, essa diferença nos fortalece e demonstra que, na democracia, uma de suas belezas é você respeitar quem pensa diferente de você”, acrescentou.

O líder do MDB e agora candidato do bloco à presidência da Câmara dos Deputados citou atuação da Casa durante a crise do coronavírus, quando tomou iniciativas como a do chamado “Orçamento de Guerra”, da ajuda a Estados e municípios e também do auxílio emergencial no valor de 600 reais, lembrando que inicialmente o governo propunha a concessão de um valor de 200 reais.

Baleia agradeceu ainda o líder da Maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), que abriu mão de sua intenção de se candidatar para dar espaço ao colega no bloco.

Do outro lado da disputa, Arthur Lira também tem insistido e sinalizado sua disposição ao diálogo, acusando o atual presidente de ser pouco acessível e de tocar a pauta da Casa de forma pouco transparente.

Nesta quarta, publicou no Twitter que “todo partido que quiser compromisso com a autonomia do funcionamento da Casa, estou aberto ao diálogo”.

“Se quiserem seguir o caminho de promessas difíceis de cumprir, essa não é minha forma de fazer política”, seguiu Lira.

O presidente da Câmara tem nas mãos a decisão sobre a pauta da Casa, ainda que ouça os líderes de bancada para defini-la. Também tem, entre suas prerrogativas, a de decidir se dá seguimento a pedidos de impeachment do presidente da República. (com agência Reuters)