Genro de Silvio Santos, novo ministro das Comunicações afirma: 'É hora de pacificar o país'

O novo ministro do recém-recriado Ministério das Comunicações, Fábio Faria, assumiu o cargo nesta quarta-feira (17) em uma cerimônia em Brasília, na qual pediu para "pacificar o país" no contexto atual da pandemia do novo coronavírus.

Macaque in the trees
Fábio Faria durante a posse como ministro das Comunicações (Foto: Folhapress / Edu Andrade / Fatopress)

"Acima de tudo, é necessário deixarmos de lado nossas diferenças político-ideológicas para enfrentar esse inimigo invisível comum que, infelizmente, matou milhares de pessoas e causou danos incalculáveis à economia. É hora de pacificar o país", disse ele em seu discurso.

O ministério retornou com a divisão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que agora perderá esta última área, adicionada no início do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Dessa forma, o governo brasileiro possui atualmente 23 ministérios, longe da promessa que o Bolsonaro fez na campanha eleitoral de governar com "no máximo" 15 ministérios.

A criação deste ministério responde à necessidade de o presidente expandir sua base de apoio no Congresso Nacional, a fim de barrar um eventual processo de impeachment.

Faria pertence ao Partido Social Democrata (PSD), um dos chamados partidos do Centrão, que reúne partidos e parlamentares sem uma ideologia clara que já apoiaram indiscriminadamente os governos de esquerda ou direita no país em troca de posições e cotas de poder.

A indicação de Faria também gerou controvérsia pelo fato do ministro ser genro do apresentador Silvio Santos, dono do SBT, uma das três maiores emissoras de televisão do país e que vem dando sinalizações de apoio a Bolsonaro desde o início do governo. (Com Sputnik Brasil)