Celebridades e intelectuais declaram apoio a pré-candidatos

Artistas e intelectuais começam a declarar apoio a pré-candidatos à Presidência da República, e nomes tradicionalmente ligados a alguns partidos revelam mudanças para as eleições deste ano. Entre eles está o cantor Caetano Veloso. Nas últimas eleições gerais de 2014, Caetano havia declarado apoio a Marina Silva, então candidata pelo PSB.

Em entrevista concedida nesta sexta-feira ao “Estado de S.Paulo” sobre seu novo projeto, “Ofertório”, que será lançado em CD e DVD, o cantor disse não se arrepender de já ter votado em Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Lula (PT) para presidente. Confirmou, ainda, que este ano seu voto vai para o pré-candidato do PDT, Ciro Gomes. 

Ontem, Caetano publicou um vídeo, em sua conta no Twitter, convidando seus seguidores a acompanhar a entrevista do pedetista para o programa “Roda Viva”, hoje, a partir das 22h15 na “TV Cultura”: “Vamos  assistir para ver o que ele tem a dizer. Ele tem muito”, declarou o cantor. 

No dia 9 de abril deste ano, Caetano já havia declarado voto ao presidenciável e apoio a outros nomes: “Presto atenção em Boulos, na adorável Manuela, no anúncio da divina Marina e na chegada de Joaquim Barbosa. Assim vou me preparando para, com mais firmeza, votar em Ciro Gomes, como uma homenagem a Lula, ao FHC do real, aos esforços para engrandecer o Brasil”, escreveu em sua página do Facebook (no último dia 8, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) – que havia se filiado ao PSB – anunciou que não vai se candidatar para as eleições deste ano). 

A escolha de Ciro, por Caetano, passa pela filiação do filósofo Roberto Mangabeira Unger ao PDT, que em seu discurso de adesão defendeu, ainda em 2015, a candidatura do ex-governador do Ceará à Presidência. “O discurso de Mangabeira, em sua volta ao PDT, que vi na internet, me convenceu”, afirmou o cantor baiano. 

Na última quarta-feira, a produtora de Caetano, Paula Lavigne, também se manifestou, mas com apoio ao candidato do PSOL, Guilherme Boulos. “Estou aqui representando esses artistas que estão realmente engajados nessa chapa”, disse em São Paulo. Ela e Caetano Veloso estiveram presentes no lançamento da pré-candidatura do líder do MTST.

O religioso Frei Betto, aliado histórico do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também declarou seu voto ao pré-candidato do PSOL. 

Ele assinou o manifesto público de apoio ao presidenciável, mas afirmou que “o apoio em Boulos, não significa o desapoio a Lula”. Frei Betto lembrou que o próprio Lula foi o primeiro a incentivar o líder do Movimento dos Sem-Teto (MTST) a se candidatar, seja quando este se lançou, em São Paulo, em março, seja na manifestação em São Bernardo do Campo, antes de ser preso. Ao lado de Manuela D’Ávila (PCdoB), os presidenciáveis defenderam o direito de Lula a concorrer ao mesmo cargo. “Apoio os três candidatos de esquerda – Boulos, Lula e Manuela – mas no primeiro turno darei meu voto a Boulos”, disse Frei Betto, ao JORNAL DO BRASIL. 

A pré-candidata pela Rede, Marina Silva, não ficou sem apoio. Fiel ao seu discurso, desde as eleições gerais de 2010, o ator Marcos Palmeira manteve o voto. Conhecido entusiasta das causas ambientais, o ator chegou a se filiar ao PSB – partido que lançou Marina como candidata em 2014.

"Eu continuo apoiando Marina Silva por vários motivos, principalmente por ela ser a única que tem um olhar para a política com o viés da sustentabilidade", justificou Marcos. 

Já a atriz Mel Lisboa declarou voto à pré-candidata pelo PCdoB, Manuela D’Ávila. “Eu acompanho e confio na sua trajetória dentro da política. Ela difere dos outros candidatos em pontos que eu me identifico, como a mais nova mulher a concorrer ao cargo”, destacou. 

A atriz e apresentadora já havia manifestado apoio à candidatura de Fernando Haddad, do PT, para a última disputa eleitoral da prefeitura de São Paulo.