Bombeiros apontam oficialmente quatro desaparecidos no desabamento do prédio

O capitão do Corpo de Bombeiros Marcos Palumbo confirmou no início da tarde desta quarta-feira (2) mais três vítimas oficialmente desaparecidas, além do homem que caiu enquanto estava sendo resgatado: uma mãe, Selma Almeida da Silva, de 48 anos, e dois filhos gêmeos, de 9 anos, que estariam no 8° andar do prédio.

Ricardo Amorim, de 30 anos, estava sendo resgatado no momento em que o edifício ruiu. A Prefeitura acabou de confirmar oficialmente as identidades das vítimas desaparecidas. Segundo os Bombeiros, ao todo 49 pessoas que viviam no prédio ainda não se apresentaram.

"Não foram localizadas essas outras possíveis vítimas, então assimilaremos essas pessoas como desaparecidas em nossa ocorrência. Então passaremos a quatro vítimas no local", afirmou o capitão. As informações são do jornal Estado de S. Paulo

No início da tarde, os bombeiros reforçaram as buscas por vítimas sob os escombros. São 90 homens trabalhando para tentar localizar desaparecidos.

>> 'Certamente será necessário' liberar recurso, diz Temer

Dados da Prefeitura de São Paulo revelam que 317 pessoas viviam no local consumido por incêndio na madrugada de terça-feira (1°). O processo de retirada dos escombros ocorre de forma manual e com o auxílio de uma retroescavadeira.

>> Entidades preparam atos de protesto e de auxílio a vítimas de prédio

>> Cruz Vermelha recebe doações para desabrigados de incêndio em SP

>> Temer determina a ministro esforços para reduzir danos de desabamento

>> Moradores do prédio que desabou pagavam aluguel

>> Veja o momento do desabamento do prédio em chamas, em São Paulo

>> Há pelo menos três versões para o início do incêndio de prédio em SP

>> Imprensa internacional repercute queda de prédio em São Paulo