Prefeitura de SP interdita cinco edificações próximas ao prédio que desabou

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou nesta terça-feira, 1º, que tomou providências de segurança no entorno do prédio que desabou hoje no Largo do Paissandu, em São Paulo, após um incêndio. Pelo risco de novos acidentes, cinco edificações próximas estão interditadas, assim como algumas ruas ao redor vão permanecer bloqueadas pelos próximos dias para ajudar na remoção dos escombros.

"Foram feitas cinco interdições de prédios ali do entorno, próximo ao prédio que caiu", disse Covas durante entrevista coletiva. "As ruas do entorno estão sendo combinadas com o Corpo de Bombeiros sobre quais delas devem ser isoladas e interditadas", completou. As vias devem ficar fechadas para a circulação de pessoas pelos próximos 15 dias. A prefeitura pretende comunicar em breve quais são os bloqueios.

>> Desaparecido em incêndio trabalha como carregador, dizem testemunhas

>> Temer determina a ministro esforços para reduzir danos de desabamento

>> Moradores do prédio que desabou pagavam aluguel

>> Imprensa internacional repercute queda de prédio em São Paulo

Covas afirmou na entrevista que lamenta o grave incidente no centro de São Paulo principalmente pela Prefeitura ter tentado meses atrás pedir para os moradores deixarem o local. "Só neste ano foram seis reuniões feitas entre a Secretaria de Habitação e as pessoas que lá moravam. Fizemos cadastro, tentamos convencê-los a sair. Tinha um processo conjunto para que as famílias desocupassem aquele espaço. Sabíamos que não era o local adequado para receber aquelas famílias", comentou.

Incêndio

>> Pastor fala em destruição de 80% a 90% de igreja ao lado de prédio que desabou

>> Secretaria Municipal de Habitação já atuava na ocupação do edifício destruído

>> Governador de São Paulo critica defensores de ocupações

>> Torre que pegou fogo e ruiu em São Paulo foi detenção de Nobel da Paz

>> No quadrilátero onde aconteceu o incêndio há 8 prédios ocupados, diz governador

O incêndio que atingiu o prédio de 24 andares no Largo do Paissandu começou à 1h30 e logo tomou conta do edifício. Os bombeiros foram chamados e trabalhavam para apagar o fogo e resgatar as vítimas quando ocorreu o desabamento. Oficialmente há uma pessoa desaparecida. As famílias que moravam no local foram enviadas para abrigos.