Brasil protesta na OMC contra barreiras americanas

O governo brasileiro protestou nesta segunda-feira, 5, na Organização Mundial do Comércio contra os planos do governo de Donald Trump de impor novas tarifas contra a importação do aço. Brasília pediu que a Casa Branca repense sua decisão.

Na semana passada, Trump indicou que iria elevar a tarifa de importação de aço e alumínio em 10% e 25%. O anúncio levou vários governos a alertar sobre uma eventual retaliação.

Falando durante uma das principais reuniões da OMC, representantes do Itamaraty insistiram que o sistema "não vive tempos normais" e que a entidade "enfrenta sérios desafios, mesmo existenciais". 

Sem citar nominalmente os EUA, o governo brasileiro deixou claro sua frustração. "No centro da ameaça está o protecionismo", disse. "O recente anúncio unilateral, por um importante membro, leva essa ameaça a um novo patamar", disse.

>> Mundo se arma para guerra comercial em resposta às barreiras de Trump

>> Trump minimiza risco de guerra comercial, mas diz que é fácil ganhar

>> OMC vê risco de escalada protecionista

>> 'Exportação brasileira sofrerá efeito grande', diz ex-secretário de Comércio Exterior sobre EUA

"Temos profundas preocupações sobre as implicações sistêmicas, o que poderia levar a sérias consequências que não seriam de interesse de ninguém", afirmou um representante do Brasil, numa alusão a uma guerra comercial. "Pedimos a esse membro que reconsidere sua decisão", disse.

Durante o encontro da OMC, Europa, Japão e outras delegações também criticaram as medidas americanas.

Fonte: Estadão Conteúdo

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais