Prefeito de Porto Alegre pede Forças Armadas nas ruas no dia do julgamento de Lula

Nelson Marchezan Jr. (PSDB) afirmou que quer "proteger o cidadão e o patrimônio público"

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), divulgou nesta quinta-feira (4) em sua conta no Twitter que solicitou ao presidente Michel Temer (PMDB), na quarta-feira (3), o envio de tropas do Exército e da Força Nacional para a cidade durante o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Marchezan justificou o pedido dizendo querer "proteger o cidadão e o patrimônio público".  No documento ele reforça o pedido diante de "ameaça de ocupação de espaços públicos" e devido a uma suposta menção a "desobediência civil e luta" que teria sido divulgado por políticos.

A data do julgamento do TRF-4 está marcada para 24 de janeiro. Partidos políticos e movimentos sociais estão convocando manifestações durante o julgamento na cidade.

Caso o recurso da defesa do petista seja negado, ele ficará inelegível para uma possível candidatura nas eleições presidenciais de 2018.

>> Luciana Genro chama prefeito de Porto alegre de "autoritário e ridículo"

Lula vai ao julgamento

Lula informou aos dirigentes do PT que vai ao TRF-4 para acompanhar o julgamento que pode torná-lo inelegível. Segundo informação publicada na quarta-feira (3) pelo jornal O Estado de S. Paulo, o partido dos Trabalhadores prepara um ato de recepção ao ex-presidente no mesmo dia, na volta a São Paulo. "O PT está organizando uma verdadeira jornada pela democracia e em defesa do ex-presidente Lula nos dias 23 e 24/1 em Porto Alegre", diz a página oficial do PT no Facebook.

Além disso, a Executiva Nacional do PT fará uma reunião ampliada para reafirmar a candidatura do ex-presidente, que atualmente lidera as pesquisas para as eleições de 2018.

Lula foi condenado, em primeira instância, a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá (SP). Se a condenação for confirmada, o petista pode ser impedido de disputar a eleição presidencial. De acordo com a publicação, a assessoria do Instituto Lula não confirmou a informação. No entanto, a defesa do ex-presidente solicitou ao TRF-4 que ele seja ouvido durante o julgamento, mas o pedido ainda não foi apreciado pelos desembargadores.

Os advogados de defesa esperam que o pedido seja acatado. Caso contrário, Lula irá a capital gaúcha para participar das manifestações. O PT e lideranças têm compartilhado nas redes sociais o manifesto "Eleição Sem Lula é Fraude". Com versões em português, inglês, espanhol, francês e árabe, o documento já recebeu mais de 100 mil assinaturas.

Com Ansa e Sputnik