Sheherazade diz que Waack foi alvo de  "fundamentalistas da moral seletiva"

Jornalista saiu em defesa do colega, afastado da Globo após vídeo com fala racista

A jornalista do SBT Rachel Sheherazade saiu em defesa do colega da Globo, William Waack, afastado da emissora após vídeo em que aparece falando frases racistas caiu nas redes sociais.

Em sua página no Facebook, Sheherazade escreveu: 

"Um dos jornalistas mais brilhantes da TV brasileira foi o último alvo dos fundamentalistas da moral seletiva. Caiu na armadilha pérfida dos coleguinhas invejosos, esquerdistas acéfalos e medíocres de todas as nuances. O "hipocritamente correto" venceu mais uma vez. Feriu de morte o brilhante Paulo Francis, atropelou Boris Casoy, trapaceou Reinaldo Azevedo e agora condenou à execração pública William Waack. E o jornalismo brasileiro fica a poucos passos da total acefalia. #semWaacknãodá"

O vídeo mostra William Waack conversando, durante o intervalo do Jornal da Globo, com o também jornalista  Paulo Sotero, com quem dividia a bancada do telejornal, que era apresentado direto da Casa Branca, em Washington, devido à cobertura das eleições norte-americanas do ano passado, que culminaram na vitória de Donald Trump. 

A conversa entre os dois é interrompida por um som de buzina na rua, que faz Waack gritar agressivamente: “Tá buzinando o que, ô seu m... do cacete?”, e vira para o colega e diz: “Não vou nem falar o que é porque eu sei quem é, isso é coisa de preto”. 

Veja vídeo publicado no Youtube

>> Responsáveis por vazar vídeo de Wiliam Waack se dizem indignados com atitude do jornalista

>> Frente Favela Brasil vai acionar William Waack no MPF por declarações racistas