Sabatina de Moraes deve acontecer em, no máximo, três semanas, diz Eunício

Nesta terça-feira (7), o presidente do Senado, Eunício Oliveira, afirmou que espera conseguir marcar a sabatina do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, indicado pelo presidente Michel Temer para o Supremo Tribunal Federal (STF), em no máximo três semanas. Moraes foi indicado para ocupar o lugar do ministro Teori Zavascki, morto no mês passado em um acidente de avião.

Eunício se reuniu com líderes partidários e pediu que os partidos encaminhem à Mesa Diretora, ainda nesta terça-feira, os nomes dos senadores que vão comandar as comissões permanentes da Casa. A comissão que sabatinará Moraes será a de Constituição e Justiça (CCJ). Somente após a definição de quem a presidirá será possível marcar a data. Eunício acredita que a CCJ seja instalada nesta quarta (8).

"Instalada a comissão amanhã [quarta, 8], o presidente tem condição de distribuir a matéria para o relator. O relator tem condições de ler na outra semana e, lido, é dada vista coletiva e, na outra quarta, já pode acontecer a sabatina", disse Eunício, que acrescentou: "Acontecida a sabatina na quarta-feira, que é quando estou prevendo, eu farei de imediato a solicitação para que essa matéria chegue a Mesa Diretora e na mesma quarta, se possível havendo quórum, eu colocarei para votação o nome do indicado para ministro no plenário do Senado."

Eunício afirmou ainda que a votação da indicação "não é uma questão emergencial" e que está comprometido em cumprir o regimento e o rito da Casa. "A celeridade está sendo dada de maneira muito clara. No máximo três semanas, contando essa, no máximo em três semanas, espero eu, que o ministro esteja sabatinado e pronto para ser votado no plenário."

>> Tese de Alexandre de Moraes impediria sua nomeação ao STF

>> O polêmico passado de Alexandre de Moraes, possível novo ministro do STF

>> Trio do STF trabalhou pela indicação de Alexandre de Moraes