Nova rebelião deixa quatro mortos em cadeia de Manaus

Cadeia desativada recebeu mais de 280 detentos após massacre no Compaj

Quatro pessoas morreram durante uma rebelião na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, neste domingo (8), de acordo com o secretário de Administração Penitenciária do estado, Pedro Florêncio. Dos quatro mortos, três foram decapitados e um morreu por asfixia. Um quinto preso morreu no  hospital, de acordo com a OAB. 

A cadeia desativada recebeu mais de 280 detentos após o massacre que matou 56 pessoas no Réveillon, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj).

A rebelião teria começado por volta das 3h do horário local (5h de Brasília). De acordo com o secretário, a situação já está controlada.

Fora da cadeia, familiares dos presos protestaram na busca de informações sobre os detentos. O Batalhão de Choque da polícia usou spray de pimenta.

Na tarde da sexta-feira (6), já havia ocorrido um tumulto no local. De acordo com a Polícia Militar, os presos reclamavam da estrutura do lugar, que abriga mais de 200 na capela e na enfermaria da unidade prisional. 

A cadeia pública está com obras paradas. Devido ao abandono do prédio, o local tem a estrutura deteriorada, incluindo as celas, com restos de material de construção e entulho.