Lava Jato: sem R$ 1 milhão para fiança, ex-tesoureiro do PT continua preso

O ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira permanecerá preso, apesar de o juiz federal Sérgio Moro ter revogado a prisão há uma semana. De acordo com os advogados de defesa de Ferreira, ele não tem imóveis ou dinheiro para pagar a fiança de R$ 1 milhão estipulada pelo magistrado da Operação Lava Jato. A informação foi encaminhada quinta-feira (22) à juíza federal Gabriela Hardt, que substitui Moro em suas férias.

Os advogados do ex-tesoureiro afirmaram que fizeram contato ‘com toda a família do acusado e todos afirmaram que não existe a menor condição econômica ou financeira do recolhimento de qualquer valor a título de fiança’. As informações são do Estado de S. Paulo.

“Não há nada que não seja real na afirmativa e legítima invocação do artigo 350 do Código de Processo Penal para a espécie. Do contrário ficará aprisionado”, afirmaram os defensores em petição à juíza Gabriela Hardt.

Desde que Moro estipulou a fiança de R$ 1 milhão, na sexta-feira, 16, os advogados entraram com dois pedidos de reconsideração. A defesa alega que Paulo Ferreira está desempregado e com dívidas. Os criminalistas querem que a Justiça alivie a fiança de R$ 1 milhão. 

>> Veja a reportagem na íntegra