Justiça quebra de sigilo de perfis que atacam Alckmin no Twitter

A Justiça de São Paulo determinou que o Twitter forneça ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, os dados cadastrais de seis usuários que publicaram críticas contra ele na rede social. De acordo com Alckmin, alguns dos tweets "ultrapassam os limites do tolerável". 

Além das críticas ao governo, um internauta se refere a Alckmin como "ladrão de merenda", em alusão ao esquema de fraudes em licitações de merenda escolar de São Paulo denunciado pelo Ministério Público.

"Parte desses perfis são notoriamente falsos, criados com finalidades escusas, atendendo a interesses daqueles que se mantem no anonimato. Essa situação não interessa aos cidadãos comuns, mas sim àquelas pessoas que têm algum motivo para esconder sua identidade", argumenta Alckmin.

"De fato é livre a manifestação do pensamento, vedado o anonimato; porém, é assegurada a indenização material e moral proporcional ao agravo, já que invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas", justificou o juiz Guilherme Ferreira da Cruz, que deferiu a quebra do sigilo de informações em caráter cautelar.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais