Agentes penitenciários do DF voltam ao trabalho depois de 23 dias de greve

Os agentes penitenciários do Distrito Federal decidiram, em assembleia na tarde de ontem (2), interromper a greve até o dia 10 de novembro, prazo para que o governo cumpra as reivindicações que não envolvem recursos financeiros.

A categoria cobra uma resposta sobre a criação do departamento penitenciário do Distrito Federal, a criação de uma Comissão de Processo Disciplinar, a contratação de novos servidores, a realização de um novo concurso público e a criação de 1 mil vagas para o cargo de agente de atividades penitenciárias, segundo o site do sindicato dos agentes penitenciários do DF.

Após reunião marcada para o dia 10 de novembro, os agentes vão decidir se continuam a paralisação.

Visitas

As visitas aos presos continuam suspensas nesta quinta-feira (3) e voltam à normalidade amanhã (4), com a garantia de visita de parentes, exceto na Penitenciária Feminina do Distrito Federal, onde não há visita na sexta-feira.

Após o inicio da greve, a Secretaria da Segurança Pública decidiu pela suspensão das visitas por suspeitar de que visitantes poderiam virar reféns dos próprios detentos.

A secretária de Segurança Pública, Márcia Alencar, disse que o objetivo da suspensão das visitas era garantir a segurança e preservar a vida de internos, parentes e servidores.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais