Itamaraty rebate críticas de países latino-americanos

Governo ainda decidiu convocar embaixador venezuelano

O Ministério das Relações Exteriores lamentou na noite desta quarta-feira (31) as manifestações contrárias ao processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff vindas da Bolívia, Equador, Venezuela e Cuba.    

Chamando de "incompreensão" dos países latino-americanos, o Itamaraty ressalta que "o processo foi conduzido em estrito respeito ao que estabelecem as leis e a Constituição brasileiras e constitui um exemplo que fortalece a democracia no país e na região". A nota ainda "conclama" aos governos que fizeram críticas a "manterem a serenidade".    

Bolívia e Equador convocaram seus embaixadores como ato de repúdio ao processo que levou o presidente Michel Temer ao poder.    

Já na questão venezuelana, o Itamaraty foi mais duro e anunciou que, assim como o governo de Nicolás Maduro, convocou seu embaixador no país para consultas.    

Segundo o Ministério, o pronunciamento de Caracas "revela profunda desconhecimento da Constituição e das leis do Brasil e nega frontalmente os princípios e objetivos da integração latino-americana".