Governo de São Paulo proíbe protestos na Avenida Paulista no próximo domingo

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) proibiu protestos na Avenida Paulista no próximo domingo (4). Nesta data, a tocha paralímpica passará pela principal avenida da capital. Em comunicado nesta quinta-feira (1º), a Secretaria de Segurança Pública justificou o bloqueio da área "diante de ocorrência de protestos violentos, com atos de vandalismo, ocorridos ontem".

Nesta quarta-feira (31), logo após o Senado aprovar o impeachment de Dilma Rousseff, manifestantes forem às ruas em diversas cidades brasileiras. São Paulo teve a maior concentração de pessoas contrárias ao novo governo de Michel Temer. Houve confronto e a Polícia Militar usou bombas de gás lacrimogênio e armas com projéteis de borracha. Várias pessoas ficaram feridas.

>> São Paulo tem manifestação contra violência policial, impeachment e Temer

Veja a nota da SSP:

Diante da ocorrência de protestos violentos, com atos de vandalismo, ocorridos ontem, a Secretaria de Segurança Pública reuniu nesta quinta-feira, 1 de setembro,  os comandos das Polícias Civil e Militar e vem a público reafirmar que respeita o direito de manifestação e está empenhada em garantir a segurança dos manifestantes.

Ressalta ainda que, conforme determina a Constituição, é obrigatória a comunicação de hora, local e trajeto em que se realizarão os atos públicos. Para que sejam preservados os direitos das pessoas que não participam das manifestações e garantida a ordem pública, será evitado o fechamento das vias importantes da cidade. A SSP informa ainda que até o momento não recebeu qualquer comunicado oficial de movimentos organizados dando ciência da realização de manifestações públicas nos próximos dias.

Por fim, a secretaria alerta que, no domingo, não será permitida a realização de atos na Avenida Paulista, pois toda a extensão da avenida estará reservada para o evento de passagem da tocha paraolímpica, que integra a cerimônia oficial dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016.