Lava Jato: João Santana assina acordo para iniciar delação premiada

O ex-marqueteiro do PT João Santana e sua mulher, Mônica Moura, assinaram termo de confidencialidade com a Procuradoria-Geral da República (PGR), iniciando o processo de delação premiada. 

O casal está preso desde o dia 15 de junho, na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Antes, ele estava detido no Complexo Médico Penal, na Região Metropolitana de Curitiba, e ela, em um presídio feminino. O acordo ainda está em fase de negociação.

Nesta quinta-feira, Santana e Mônica Moura vão se encontrar com o juiz Sérgio Moro, quando serão interrogados na ação penal em que respondem por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em função do recebimento de US$ 4,5 milhões em 2013 e 2014 do representante no Brasil do estaleiro Keppel Fels e fornecedor da Petrobras, o engenheiro Zwi Skornick, como contribuição para ajudar a financiar a campanha pela reeleição da presidente afastada, Dilma Rousseff. 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais