PGR aceita delação, mas quer Cunha em regime fechado

A Procuradoria-Geral da República (PGR) aceita que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) feche um acordo de delação premiada, mas não é tão receptiva à possibilidade de o deputado afastado não cumprir alguns anos de prisão em regime fechado, de acordo com a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo.

Nos últimos dias começaram a circular informações de que os advogados do ex-presidente da Câmara estariam negociando o acordo com os procuradores. Mas o peemedebista sempre nega a possibilidade, assim como negou com veemência que renunciaria à Presidência da Câmara.

Na avaliação dos procuradores, seria necessário, além do interesse do parlamentar em delatar, a apresentação de uma proposta consistente. Espera-se, caso ocorra o acordo, que o deputado traga fatos novos e, principalmente, nomes de altas figuras da República ainda não implicadas na Lava Jato e em outros esquemas de corrupção.

>> Cassação de Cunha pode ser votada na Câmara na segunda semana de agosto

>> Funaro: "Eduardo Cunha pode implodir governo Temer"

>> Delação de Funaro pode atingir 200 parlamentares

>> Funaro ameaçou colocar fogo na casa de delator com os filhos dentro

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais