Anac registra redução no tempo de filas no 2º dia das novas regras em aeroportos

No segundo dia de vigência dos novos procedimentos de inspeção de passageiros para voos domésticos nos aeroportos do país, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) registrou nesta terça-feira (19) uma redução no tempo médio de espera nos horários de picos em relação a segunda-feira (18). Em Congonhas (SP), onde ontem foram registradas filas de até 45 minutos, hoje o tempo de espera passou para 28 minutos.

Em Guarulhos, o tempo passou de 11 para 10 minutos. No aeroporto de Santos Dumont (RJ), o tempo de espera permaneceu em 15 minutos. Já no aeroporto do Galeão (RJ), onde ontem não foram registrado tempo adicional de filas, hoje a espera foi de seis minutos.

Segundo a Anac, em São Paulo os fiscais da agência reuniram-se com representantes das companhias aéreas e do operador aeroportuário para discutir medidas para garantir aumento da fluidez no processo de inspeção.

A recomendação da Anac é para que os passageiros cheguem aos aeroportos com duas horas de antecedência em relação ao horário da decolagem. A orientação é que os passageiros retirem cintos e demais objetos metálicos antes de passar pelo pórtico (raios X). Quem estiver levando notebook na bagagem de mão deve colocar o aparelho em uma uma bandeja separada.

Qualquer passageiro poderá ser submetido ao scanner corporal ou por uma revista física aleatória. Nesse caso, o passageiro poderá ser revistado por um agente de proteção da aviação civil do mesmo sexo, mesmo se o alarme do equipamento de raio X não tiver disparado.

Também poderá ser solicitada a inspeção manual de pertences de mão no momento da passagem pelo equipamento de raios X. A Anac informou que a adoção desses procedimentos tem como único objetivo “zelar pela segurança de todos os passageiros e seus familiares no transporte aéreo brasileiro”.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais