Em sua primeira entrevista como presidente, Temer diz que não fará milagres

À revista Época, presidente interino prometeu trabalhar incansavelmente pelo país

Em entrevista à revista Época, o presidente em exercício Michel Temer falou sobre sua expectativa agora que assume provisoriamente o governo. Temer começou a conversa dizendo que “ainda não caiu a ficha” sobre o que está acontecendo e pediu a ajuda de todos para tirar o Brasil de uma das maiores crises de sua história.

“Quero, com a ajuda de todos, colocar o Brasil nos trilhos nesses dois anos e sete meses. Estou acostumado à pressão, a situações difíceis, a crises. Trabalharei de domingo a domingo, de dia e de noite para cumprir as expectativas do povo brasileiro”, disse.

Apesar do otimismo em relação à sua capacidade de governar, Temer sabe que recolocar o país em rota de crescimento não será uma missão fácil, mas promete empenho para ficar lembrado como alguém que conseguiu recuperar o Brasil. “Eu não vou fazer nenhum milagre nesses dois anos. Quero que, ao deixar a presidência, o povo olhe para mim e digam: ‘Esse sujeito arrumou o país”, admitiu Michel Temer.

Para o presidente, a principal urgência é corrigir os caminhos da economia brasileira, e, para isso, nomeou o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles para chefiar sua equipe econômica.

“Tenho plena confiança na capacidade de Henrique Meirelles e da equipe montada por ele. Eles terão autonomia para fazer os ajustes necessários e transmitir a confiança que perdemos”.

Sobre sua experiência na articulação política, Temer admitiu que seu tempo à frente da presidência da Câmara dos Deputados servirá como um ponto positivo, estabilizando a relação Planalto/Congresso.

“Fui presidente da Câmara por três vezes e sei bem o quanto é necessário ter diálogo com os parlamentares e manter o respeito pelas ideias diferentes. Não é fortuito que tantas lideranças partidárias estejam comprometidas com o ministério que foi montado”, comentou.

Ao ser questionado se considera possível realizar tanta coisa em tão pouco tempo, ele se mostrou confiantes e classificou sua ambição como uma forte aliada. “Não é porque é impossível fazer milagres que não se devem estabelecer metas ambiciosas, como as que delineei. É possível fazer mito, não tenho dúvidas. E, se não houver ambição, qual o propósito de se tentar?”, encerrou.