Impasse sobre redução de sessão torna imprevisível horário da votação

Renan Calheiros disse que aceitaria requerimentos, mas governistas protestaram

A tentativa de reduzir a sessão que analisa e vota nesta quarta-feira (11) o afastamento da presidente Dilma Rousseff não foi bem recebida por senadores governistas. 

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que receberia requerimentos propondo que o tempo para o pronunciamento de cada parlamentar fosse reduzido de 15 para 10 ou 5 minutos.

Mas, diante da resposta negativa do líder Humberto Costa (PT-PE) e de senadores do PT e do PCdoB, Renan disse que não poderia acatar os requerimentos, apesar de ter ressaltado que sua intenção era que a votação em painel eletrônico, logo após os pronunciamentos, ocorresse antes de meia-noite.

Senadores petistas estão entre os últimos a falar. Peemedebistas articulam abrir mão do tempo de fala para antecipar a votação.