Vanessa reafirma que Senado deveria ter interrompido processo de impeachment

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) reiterou sua opinião de que o Senado deveria ter suspendido a análise do processo de impeachment devido à decisão do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, de suspender a sessão em que os deputados aceitaram as acusações contra a presidente Dilma Rousseff, anulação esta que foi suspensa pelo próprio deputado na noite de segunda-feira (9).

Ela concorda com análise sobre o episódio feita pelos professores Heloísa Machado e Rubens Gleiser e publicada nesta terça-feira (10) no jornal O Estado de S. Paulo. Para os professores, a decisão do Senado é problemática e equivocada, pois, diante da anulação feita pela Câmara, todas as ações do processo no Senado deveriam ser consideradas nulas.

"Estamos nesta luta porque não só defendemos um projeto de país que favoreça os menos favorecidos, mas porque defendemos, em primeiro lugar, o estado de direito, a constituição, porque a constituição, porque as crises vêm e vão, as regras da democracia, não. Elas vêm e devem ser duradouras. O que está acontecendo neste momento é um precedente muito grave contra a ordem institucional, contra as leis estabelecidas no país".

Vanessa ainda leu comentário do governador do Maranhão, Flávio Dino, lamentando a decisão de Waldir Maranhão de revogar a anulação da sessão da Câmara diante da decisão do Senado de dar continuidade ao processo de impeachment. O governador também elogiou o deputado por ter votado contra o impeachment e por tentar barrar o que chamou de “marcha de insensatez” pelo afastamento da presidente da República.