'Fica impossibilitada votação no Senado neste momento', diz Cardozo

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, em entrevista na tarde desta segunda-feira (9), falou sobre  fala sobre a decisão do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP), de anular votação do impeachment na Câmara. Cardozo destacou que  cabe à Câmara dos Deputados avaliar o que fez de ilegal. "Mantida posição da Câmara fica impossibilitada a votação no Senado neste momento", frisou o ministro.

Para Cardozo, o processo deve retornar à Câmara no prazo de cinco sessões, para uma nova votação. Se a Câmara votar pela admissibilidade novamente, o processo é remetido ao Senado, onde teria tramitação natural.