Decisão sobre estrutura da Câmara para Cunha sai nesta semana, diz 1º secretário

O primeiro-secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), disse que será divulgada ainda nesta semana a decisão sobre a estrutura da Casa que ficará à disposição de Eduardo Cunha, afastado do mandato de deputado e da presidência da Câmara.

“Possivelmente não deve sair hoje porque eu preciso conversar com a Mesa Diretora do Senado, conversar também com o Executivo para que a gente possa tentar achar aí uma maneira de ter um regramento simétrico entre os poderes da República. Como isso não havia acontecido até então, só peço um pouco de paciência porque vamos resolver isso ainda nesta semana”, disse.

Reunião marcada

Segundo Mansur, havia uma reunião marcada com o Senado e o Executivo para discutir um procedimento paralelo que pode ser adotado caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada pelo Plenário. A reunião, porém, foi adiada depois de o presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão, decidir anular a aprovação da admissibilidade do impeachment no Plenário em 17 de abril.

A proposta dos técnicos da Câmara, segundo Mansur, é que haja uma simetria entre o caso de Dilma e o de Eduardo Cunha. Haveria reunião da Mesa nesta segunda-feira (9) para definir a estrutura a qual Cunha teria direito.

Por enquanto, Eduardo Cunha ainda mantém as prerrogativas de deputado federal e presidente da Câmara, o que lhe garante, por exemplo, salário de R$ 33.763, residência oficial da presidência da Casa, seguranças e foro privilegiado de julgamento no Supremo Tribunal Federal, entre outros benefícios.