'Quem elegeu Cunha foram os pseudos paladinos da ética', diz Silvio Costa

Vice-líder do governo critica postura dos que patrocinaram eleição do peemedebista

O vice-líder do Governo na Câmara, Silvio Costa (PTdoB), frisou por meio de sua conta em redes sociais que os que apoiaram a eleição de Eduardo Cunha (PMDB) na presidência da Câmara foram os "pseudos paladinos da ética". "Eu não votei em Eduardo Cunha para presidente da Câmara (02/02/2016). Eu fiz campanha contra, alertei aos deputados para o perigo, e fiz isso porque sabia da trajetória política e no poder público de Eduardo Cunha (PMDB/RJ), desde o Rio de Janeiro", destacou Costa.

O deputado comentou que muitos dos que fizeram campanha para eleger Cunha, "apenas para derrotar o candidato de Dilma", agora se colocaram como opositores do peemedebista. 

"Lamento que a política tenha sido usada de forma tão pequena, a ponto de causar tantos danos ao País", ressaltou Silvio Costa. "Quem elegeu Cunha foram os que agora posam de pseudos paladinos da ética e da moralidade. Não podem dizer que não sabiam sobre Cunha. Se não sabiam, foram avisados a tempo de não elegê-lo. Cunha servia, porém, para atingir o objetivo final: derrubar a presidente Dilma."

"Tenho orgulho de ter combatido Eduardo Cunha desde o momento em que tomou posse na presidência da Câmara. Enfrentei e denunciei o seu poder ditatorial, as manobras regimentais e os seus abusos de poder na Câmara. Os embates se tornaram frequentes e, no dia 9 de abril de 2015, já ocupava a tribuna da Casa para conclamar meus pares a reagirem e enfrentarem o poder imperial de Cunha", assegurou.

>> Silvio Costa: "Quem quer assumir o poder é o PCC, Partido da Corja do Cunha"

>> Líder do governo diz que Cunha manobra para Câmara não acatar decisão do STF