Maduro: Acusações a Dilma evidenciam obsessão contra líderes progressistas

Mandatário da Venezuela alertou para nova Operação Condor na América Latina

O presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, destacou que as "infundadas" acusações recentes contra a presidente Dilma Rousseff evidenciam a obsessão imperialista contra líderes progressistas da América Latina. Para ele, a região enfrenta uma nova Operação Condor -- aliança estabelecida formalmente, em 1975, entre as ditaduras militares. 

Este novo plano, acredita o mandatário, teria como alvo os governos progressistas, e se daria, principalmente, com o apoio da mídia, a serviço da ultradireita internacional, impulsionando a violência e a desestabilização dos países. 

"Pretender derrubar a primeira mulher presidenta do Brasil, eleita e reeleita, sem provas, sem acusações, diz muito sobre o que é a obsessão imperial contra as forças progressistas, avançadas e revolucionárias, que têm tomado posições de liderança no continente", argumentou Maduro.

Maduro também destacou a força e valentia da presidente Dilma frente o processo desestabilizador. Dilma Rousseff disse na tarde desta terça-feira (12), durante o Encontro Educação pela Democracia, no Palácio do Planalto, que a máscara dos golpistas caiu com o vazamento do áudio em que o vice-presidente Michel Temer faz uma espécie de discurso de posse, como se o impeachment já tivesse sido aprovado pela Câmara dos Deputados. Para Dilma, ficou claro que há dois chefes do golpe que agem em conjunto.

“Hoje (terça) a presidente Dilma teve uma posição sólida, clara. Se há algo para admirar nesta mulher Dilma Rousseff é sua valentia, sua honestidade, sua coragem, coração valente a chamam", completou Maduro. As informações são do jornal Correo del Orinoco.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais