'El País': Temer faz ‘ensaio presidencial’ e ganha críticas até da oposição

Ministro de Dilma defende que vice-presidente renuncie, caso impeachment seja barrado

Matéria publicada nesta segunda-feira (11) no El País, comenta que a carta vazada, e depois o áudio vazado pelo vice-presidente do Brasil Michel temer. Com a divulgação "por acidente" de um áudio em que fala praticamente como presidente, Michel Temer (PMDB) implodiu nesta segunda-feira (11) qualquer possibilidade de relacionamento com a presidenta Dilma Rousseff (PT) e angariou críticas até da oposição que trabalha pela queda da petista. 

Segundo a reportagem, o vice-presidente voltou a protagonizar momentos que talvez nem os melhores roteiristas fossem capazes de elaborar e instalou mais uma vez a dúvida sobre acidentes e intencionalidades estratégicas em seus gestos públicos.

O jornal espanhol lembra que o primeiro capítulo desta novela ocorreu em dezembro passado, com uma carta enviada à mandatária dizendo que ele se sentia um "vice decorativo". Naquela época, o PMDB ainda estava no Governo e o processo de impeachment tinha começado a tramitar na Câmara dos Deputados havia apenas cinco dias. Nesta segunda-feira (11), a quatro dias do início da votação da destituição da presidenta, com parte dos peemedebistas agindo na bancada oposicionista e o placar do impeachment ainda indefinido, veio a nova entrega. Desta vez foi uma gravação que circulou entre um grupo de WhatsApp de deputados do PMDB em que Temer falava de seus planos e desafios futuros como possível líder da nação. 

El País destaca que no áudio de 14 minutos, o vice está no futuro: Rousseff já perdera a batalha do impeachment na Câmara dos Deputados e o caso está agora nas mãos do Senado Federal, que é quem julga de fato a mandatária. O detalhe é que a votação no plenário da Câmara está prevista para ocorrer apenas no próximo fim de semana.

Em Brasília, alguns consideravam o episódio um deslize calculado de Temer para passar tranquilidade aos mercados e a outros setores de que planeja uma transição suave, com "sacrifícios" para sair da crise, mas sem imolar os programas sociais. Outros afirmaram que o envio da mensagem era claramente um erro do grupo do peemedebista. O ensaio presidencial de Temer fez até a empresa de consultoria de política Eurasia Group emitir um comunicado extra em que analisa qual o impacto da gravação. A empresa diz que o vazamento foi "claramente negativo"  ao vice e seu entorno, mas não deve impactar de maneira importante o jogo do impeachment.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais