Cunha: projeto de resolução não mudará integrantes do Conselho de Ética

O Projeto de Resolução (PRC) 133/16, da Mesa Diretora, que redefine a composição das comissões da Câmara dos Deputados, será alterado para deixar claro que não há possibilidade de troca dos atuais integrantes do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar e da Comissão Especial do Impeachment. A informação foi dada nesta quarta-feira (30) pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, em entrevista coletiva no Salão Verde.

Cunha ressaltou que nunca houve a hipótese de o projeto interferir no Conselho de Ética, pois o artigo 21-E do Regimento Interno da Câmara garante a manutenção dos membros eleitos pelo colegiado. Segundo o presidente, a versão de que o PRC 133/16 afetaria o Conselho foi divulgada por “má-fé daqueles que tentam me denegrir me atribuindo manobra inexistente.”

“Por causa disso, nós vamos tirar qualquer menção a qualquer natureza de eleição, mas não haveria a menor necessidade. A resolução era clara e nítida: não existia interferência no Conselho de Ética. A resolução nunca mexeu com o Conselho e com nada pretérito”, ressaltou Cunha.

No início da tarde, o presidente do Conselho, deputado José Carlos Araújo (PR-BA), havia afirmado que a aprovação da proposta poderia retirar do colegiado três parlamentares, incluindo o próprio Araújo. Ele disse que o objetivo do texto era "liquidar o Conselho" e atrapalhar os trabalhos em curso, o que representaria "uma tentativa de golpe". Araújo criticou especialmente o presidente da Câmara.Cunha respondeu que Araújo tenta se promover: “O presidente do Conselho de Ética todo dia quer abrir a geladeira para acender a luz.”

Testemunhas

Eduardo Cunha reafirmou que custeará do próprio bolso, sem despesas para a Câmara, a vinda a Brasília das suas testemunhas de defesa no Conselho de Ética.