Dilma inaugura museu no Rio acompanhada de aliados do PMDB

A presidente Dilma Rousseff chegou ao Museu do Amanhã, na Praça Mauá, Zona Portuária do Rio de Janeiro, na noite desta quinta-feira (17), a bordo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) com seus aliados do PMDB, governador Luiz Fernando Pezão, o prefeito Eduardo Paes, o deputado federal Leonardo Picciani e o ministro Celso Pansera, além da deputada Jandira Feghali (PCdoB) e do ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Do lado de fora, havia cerca de 40 manifestantes. Alguns gritavam contra a presidente, mas havia mais pessoas com o já conhecido grito "Não vai ter golpe!", em apoio à mandatária.

Também estava presente o deputado Pedro Paulo, ex-secretário municipal de governo do Rio, que retornou nesta semana à Câmara dos Deputados por decisão do diretório estadual, e deu o voto que reconduziu Picciani à liderança do partido na Casa nesta quinta-feira.

Durante discurso, o prefeito do Rio cumprimentou Leonardo Picciani em nome dos demais parlamentares presentes e o saudou pelo retorno ao posto do qual foi destituído na semana passada. "Que bom que você voltou à liderança", disse Eduardo Paes ao líder, que é atualmente o principal líder da presidente Dilma na Câmara.

Paes também agradeceu efusivamente à presidente Dilma e ao ex-presidente Lula pelo diálogo que eles estabeleceram com os governantes do Rio. Segundo o prefeito, em outros tempos o prefeito da cidade confundia seu papel com lutas políticas e os ex-presidentes da República não se alinhavam com os governantes da cidade e do Estado do Rio.

"Não era apenas uma questão de dinheiro, de recursos. Mas também de estabelecer diálogo, de uma conversa entre prefeito, governador do Rio e o governo federal", observou Paes, que vem tendo papel importante nas articulações do PMDB fluminense em apoio a Dilma. 

A presidenta tinha agenda em Petrópolis mais cedo, mas a viagem foi cancelada devido ao mau tempo. Dilma também assinou a ordem de serviço para mobilização do equipamento para o Porto do Rio, para obras de dragagem no início do ano que vem, junto com o ministro da Secretaria de Portos (SEP), Helder Barbalho.