Pinato garante que Cunha terá direito à ampla defesa no Conselho de Ética

Relator diz que pretende conduzir investigação baseado em argumentos técnicos

O deputado Fausto Pinato (PRB-SP), escolhido como relator da representação do Psol e da Rede Sustentabilidade contra o presidente da Câmara, disse nesta quinta-feira que Eduardo Cunha terá direito à ampla defesa e "será julgado como deputado comum e não como presidente da Casa". 

O relator acrescentou que pretende conduzir a investigação baseado em "argumentos técnicos" e com "independência, justiça e transparência". Pinato é advogado e também o 2° vice-presidente do Conselho de Ética da Câmara. 

>> Fausto Pinato (PRB-SP) é o relator de processo que pede cassação de Cunha

O processo contra Cunha foi formalmente instalado na terça-feira (3), com base em denúncias da Operação Lava-Jato da Polícia Federal e em supostas contas secretas na Suíça em nome de Cunha, que alega inocência.

O nome de Pinato foi anunciado pela manhã pelo presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA). A reunião para a apresentação do parecer preliminar foi marcada para o dia 24.

A escolha do relator cabe exclusivamente ao presidente do Conselho de Ética, a partir de uma lista tríplice sorteada entre os integrantes do colegiado. Nessa lista tríplice, além de Pinato, estavam os deputados Vinicius Gurgel (PR-AP) e Zé Geraldo (PT-PA).

Inicialmente, José Carlos Araújo pretendia anunciar o relator nesta quarta-feira, após conversar com cada um dos três parlamentares, mas decidiu adiar o anúncio para esta quinta-feira.

Também nesta quinta, Araújo indicou o deputado Washington Reis (PMDB-RJ) como relator da representação do PC do B contra o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) por suposta agressão verbal à líder do partido, deputada Jandira Feghali (RJ).

>> Fausto Pinato (PRB-SP) será o relator de processo que pede cassação de Cunha

>>Russomanno diz que não aceita conversar com Cunha sobre processo de cassação