Cunha nega ter antecipado detalhes de sua defesa ao Conselho de Ética

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, negou nesta quinta-feira que tenha antecipado a outros parlamentares detalhes da defesa que pretende apresentar ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa. Informação veiculada pela imprensa sustenta que vários deputados teriam ouvido de Cunha que ele confirmará que não mentiu à CPI da Petrobras em março, quando disse não possuir contas no exterior.

“Não existe isso. É como o parecer do impeachment da semana passada. Cadê o parecer do impeachment? Passaram 10 dias, todo mundo divulgou, colocou até que tinha contra e a favor, e não apareceu o parecer até hoje”, rebateu Cunha, em referência a outra matéria veiculada na imprensa informando que ele já teria um parecer técnico da assessoria da Câmara favorável a um pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O presidente da Câmara é alvo no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar de um pedido de cassação do mandato por quebra de decoro parlamentar proposto pelo Psol e pela Rede Sustentabilidade.

“No momento correto [eu vou apresentar a defesa], quando me derem prazo, a minha defesa irá conter todos os pontos. Meus advogados vão tratar disso, já nomeei um advogado para o Conselho de Ética e vai ser tratado com calma e tranquilidade e com a riqueza de detalhes necessária”, acrescentou.

Eduardo Cunha afirma ser inocente e ressalta não ter cometido nenhuma irregularidade. Cunha diz que foi “escolhido” para ser investigado como parte de uma tentativa do governo de calar e retaliar a sua atuação política.

Impeachment

Em relação a futuros despachos sobre pedidos de impeachment de Dilma Rousseff, Cunha disse que está aguardando o Supremo Tribunal Federal extinguir os recursos apresentados por ele contra as liminares dos ministros Teori Zavascki e Rosa Weber que suspenderam o rito definido para o impeachment na Câmara.


Com Agência Câmara