MG: Programa de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas realiza diversas ações

Até 31 de julho diversas ações em todo o Brasil abordarão o Tráfico de Pessoas, a terceira atividade criminosa mais lucrativa do planeta, ficando atrás apenas do tráfico de drogas e de armas. Em Belo Horizonte, o Programa de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (PETP) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio da Coordenadoria Especial de Prevenção à Criminalidade (CPEC) irá realizar, por ocasião da Semana Nacional de Mobilização pelo Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas ações de sensibilização da sociedade sobre o tema.

Na quinta-feira, o PETP montará um estande no hall de entrada do Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Rodoviária), em Belo Horizonte, para distribuir informações sobre o tráfico de pessoas. Além disso, serão divulgados os mecanismos públicos para que a população possa ter informações sobre o tema e de como fazer denúncias anônimas.

A campanha de mobilização, globalmente difundida e denominada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como Campanha Coração Azul, visa dar visibilidade ao tema. As ações acontecem sempre nas proximidades do dia 30 de julho, Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Além do plantão da equipe do Programa na Rodoviária, haverá ações voltadas para a comunidade boliviana e haitiana da Região Metropolitana de Belo Horizonte. O objetivo é debater sobre o tráfico de pessoas, contrabando de migrantes e outras formas de violação à dignidade do imigrante no Brasil, bem como as estratégias de prevenção e acesso a direitos, visando redução de vulnerabilidades.

De acordo com dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), anualmente 20,9 milhões de pessoas são vítimas do tráfico de pessoas. Esse crime movimenta, aproximadamente, 32 bilhões de dólares por ano.

 

Sobre a Campanha Coração Azul

No cenário nacional, o Ministério da Justiça aderiu à Campanha Coração Azul da ONU em 2013 e a cada ano mobiliza ações nacionais em conjunto com a rede de Núcleos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e os Postos Avançados de Atendimento Humanizado ao Migrante, bem como os Comitês Sociais do Coração Azul. A agenda também é assumida pelas instituições que compõe o Comitê Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, que recomenda a descentralização das mesmas nos estados da federação.