Ministra da Agricultura destaca ações para fortalecer setor agropecuário

A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) deu entrevista coletiva para prestação de contas dos seis primeiros meses de sua gestão à frente da pasta. Kátia Abreu destacou os cinco principais pontos do trabalho desenvolvido: modernização de processos, fortalecimento da defesa agropecuária, implantação de uma lei plurianual agrícola, criação de uma aliança nacional para inovação e pesquisa e ampliação da classe média rural. 

A ministra disse que a pasta deve ser independente, com processos automáticos, independentemente do titular. “Queremos reconhecimento de uma instituição forte e capaz de atender a um dos principais negócios do Brasil, que é a agropecuária”. 

Em relação à defesa agropecuária, ela afirmou que a área já é reconhecida internacionalmente, mas ainda pode ser fortalecida. “Temos a obrigação de aprimorar cada vez mais nosso sistema de defesa para que ele seja acima de qualquer suspeita”, destacou. 

Kátia Abreu disse que uma lei agrícola com duração de quatro a cinco anos vai “conferir mais capacidade de planejamento aos produtores”. A nova legislação será elaborada por um grupo de trabalho de economistas renomados e submetida ao Congresso Nacional. 

A ministra enfatizou ainda a intenção do Mapa de criar uma aliança nacional para inovação tecnológica voltada à agropecuária. “Temos excelência nessa área com a Embrapa, que é reconhecida internacionalmente como uma instituição de elite, mas queremos avançar”.  

Por fim, Kátia Abreu falou sobre a ampliação e o fortalecimento da classe média rural. Durante sua gestão, afirmou que pretende dobrar a quantidade de agricultores que se encontram nessa faixa de renda.