Corpo de esportista morto na Pedra da Gávea é enterrado em Mogi das Cruzes

Neste domingo (26), foi sepultado em Mogi das Cruzes (SP) o corpo do esportista Fernando Gonçalves, de 36 anos, que morreu na sexta-feira (24) ao saltar de wingsuit na Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro. 

Amigos e familiares acompanharam o velório no Cemitério São Salvador, no Parque Monte Líbano.

Fernando morava em San Diego, na Califórnia, e havia chegado ao Rio de Janeiro na quarta-feira (22) para fazer um trabalho e depois viria à Mogi das Cruzes visitar os familiares e fazer uma surpresa de aniversário para a mãe. 

Praticante de wingsuit morre ao pular da Pedra da Gávea

Fernando M. Gonçalves morreu ao pular da Pedra da Gávea, na Zona Sul do Rio, na sexta-feira (24). O Corpo de Bombeiros encontrou o atleta morto depois de fazer buscas de helicóptero na região. Fernando morava em San Diego, na Califórnia, e havia chegado no Rio de Janeiro na quarta-feira (22).

No esporte, praticantes de base jump ou paraquedismo usam um macacão que permite planar durante a queda livre ao causar mais resistência com o ar. Os esportistas mais radicais voam próximo a montanhas, aumentando o grau de dificuldade e risco. Para pousar, eles precisam abrir paraquedas.

Fernando postou na quarta-feira (22/7) um vídeo de outro voo, saltando da Pedra da Gávea, e passando rente à pedra. As imagens foram publicadas no perfil dele no Facebook.

Em maio, outro atleta praticante do esporte, o americano Dean Potter, conhecido como um dos mais corajosos do mundo, morreu durante um voo de wingsuit na Califórnia. Desde que o esporte começou a ganhar popularidade, em 2002, cerca de 70 pessoas morreram.