Menina de 7 anos esquecida pela TAM, em São Paulo, consegue chegar a Paraíba

Pais da garota disseram que pagaram para que a filha fosse acompanhada na viagem

A menina de 7 anos esquecida pela companhia aérea TAM no aeroporto de Guarulhos, no domingo (19/7) chegou a João Pessoa com o avô, 35 horas depois de perder o voo original.

Segundo os pais da garota, Carolina Petter e Felipe Caselli, foi pago R$ 100 à TAM no domingo pela manhã, logo após o check-in no aeroporto de Cumbica, para que a filha deles fosse acompanhada, mas o funcionário deixou a menina no portão de embarque errado.

Ainda de acordo com o casal, um funcionário da companhia aérea, que também faria o auxílio de uma senhora e uma pessoa com deficiência, passou a acompanhar a criança. Carolina contou que ficou apreensiva quando o funcionário perguntou a menina se ela iria para Salvador. A mãe respondeu que era para João Pessoa e decidiu permanecer no aeroporto para se certificar de que a filha tinha embarcado.

Uma atendente da empresa informou aos pais ter visto no sistema que a criança já estava dentro do avião. A mãe resolveu, no entanto, mandar uma mensagem por celular para se certificar de que estava tudo certo com a filha. A menina respondeu: "estou esperando o moço voltar".

Ao perceber que havia perdido o voo e estava sozinha, a menina começou a chorar. Por telefone, o pai precisou instruí-la a pedir informações para chegar ao check-in da TAM.

Depois da confusão, a família estuda entrar com uma ação contra a empresa aérea.

A TAM admitiu que houve falha no processo de embarque, mas nega que a passageira tenha ficado desassistida, como relata a família e divulgou a seguinte nota:

A TAM esclarece que em relação ao tema da menor desacompanhada, com voo programado para o domingo 19/7 (JJ 3356 – Guarulhos/São Paulo – João Pessoa), houve uma falha no processo de embarque da menor, ocasionando a perda do voo.

No entanto, a companhia reforça que a menor não deixou de ser assistida por um funcionário da TAM.

A TAM esteve em contato com a família para manifestar sua solidariedade e prestar a assistência necessária.