MP investiga redução de velocidade nas marginais em SP

O Ministério Público de São Paulo abriu inquérito para investigar a redução dos limites de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê. As mudanças começaram a valer nesta segunda-feira (20) sob a justificativa de que, juntas, as duas vias registraram em 2014 um total de 73 mortes na capital paulista.

A portaria de instalação da investigação foi assinada pela promotora Aline Filgueira de Paula, substituta na Promotoria de Habitação e Urbanismo, com data do último dia 16. A divulgação da medida foi feita hoje.

No documento, a promotora determina a expedição de ofício à Secretaria Municipal de Transportes para que, no prazo de até 15 dias, a pasta responda com o encaminhamento “dos estudos prévios realizados acerca do impacto da redução de velocidade nas vias marginais da cidade de são Paulo, tanto em relação a acidentes de trânsito, quanto em relação ao congestionamento de veículos nas referidas vias, bem como esclarecimentos sobre os estudos realizados para a fixação da velocidade máxima adequada nas referidas vias”.

Procurada, a assessoria de imprensa da CET ainda não se manifestou sobre procedimento do MP.

Redução já está em vigor 

A partir de hoje, começa a valer nas pistas expressas das marginais o limite de 70 km/h para veículos leves, e de 60 km/h para veículos pesados; nas pistas locais, a redução mudou o limite de 70 km/h para 50 km/h. Nas pistas centrais da Tietê, a máxima caiu de 70 km/h para 60 km/h.

Vias são as mais letais de SP, justifica a CET 

O número de mortos em acidentes nas marginais foi o principal argumento que a Prefeitura de São Paulo utilizou para convencer o cidadão da necessidade de redução da velocidade nas duas vias.

Das mais de 1.300 mortes no trânsito paulistano em 2014, as campeãs de letalidade são justamente a Tietê e a Pinheiros, com 73 mortes, ao todo – 40 e 33, respectivamente.

Nos 1.180 acidentes com vítimas em 2014, ainda conforme a CET, eixaram 1.399 feridos. Só no trânsito da marginal Pinheiros, foram 786 vítimas – 754 em acidentes graves, com 33 mortes. Já na marginal Tietê 645 pessoas ficaram feridas em acidentes, e 40 morreram.

“Quanto mais a gente diminui a velocidade, mais chance de a vítima sobreviver ou de ter acidentes na cidade”, afirmou o secretário Jilmar Tatto, semana passada, em entrevista coletiva. Na ocasião, ele ainda negou que as medidas ajudem a piorar o já congestionado tráfego das marginais. Segundo Tatto, “o espaço que o carro precisa para poder frear e ter segurança adequada com veículo à sua frente” é maior em velocidades mais altas. “Quanto menor a velocidade, menos espaço o motorista precisa para frear e diminuir sua velocidade – isso explica por que não aumenta o congestionamento quando reduz a velocidade. E isso é o que tem acontecido no mundo”.